TF Drops
Loading...

Publicidade

Matéria - O Retorno da Lenda Kamen Rider


Antes de lerem esta matéria, é muito importante que saibam que ela possui "300 mil spoilers". Recomendamos que assistam antes ao filme clicando aqui para baixar, e então retornem para ler.
Do contrário, a diversão do filme será drasticamente reduzida.


Infelizmente nós, brasileiros, perdemos a maior parte da graça da franquia Kamen Rider. Não podemos reclamar de várias animações e séries infanto-juvenis que tivemos na TV brasuca nos anos 80-90 (afinal, quem não gostava de MacGaiver? De Silverhawks? Dos Popples? De Rescue Rangers*?), mas a verdade é que quando a TV Manchete exibiu Kamen Rider Black RX, perdemos, sim, a "magia" que foi a aparição dos antigos Kamen Riders, vindos para ajudar Issamu a derrotar o Imperador Crisis, já que não assistimos a suas aventuras, ano a ano.

Muito, mas muito antes de Issamu, o Japão conhecera Takeshi Hongo, um jovem que sofreu uma operação mutante cruel e se transformou em Kamen Rider N.° 1, no ano de 1971.


Os dois primeiros minutos do filme de 2016 mostram um herói que não precisa
 se transformar para enfrentar os inimigos.


Sequestrado pela multiterrorista organização Shocker, seu futuro seria o de um ciborgue mutante assassino, com lavagem cerebral e sem vontade própria. É óbvio que, no caso de Takeshi Hongo, a operação falhou antes da lavagem, e ele escapou, passando a combatê-los pelos longos 98 episódios desta série, ao lado de Hayato Ichimonji, o Kamen Rider N.° 2.

Com os fansubs, a aparição dele foi sendo mostrada ao longo de outras séries antigas e novas, mas a produtora Toei Company nunca tinha lhe dado o devido tratamento. Tivemos em 2005 um spin-off chamado Kamen Rider The First (seguido por The Next) em que sua história é lindamente contada, com tons de romance.

Mais um evento ocorre em 2014 no filme Riders Heisei  vs. Riders Showa: A Guerra dos Kamen Riders, quando o ator Hiroshi Fujioka aparece como Kamen Rider N.° 1. O filme é bom, mas encaixa-se mais como um filme fanservice do que uma homenagem ao primeiro Rider.

Mas finalmente neste ano de 2016, durante as comemorações dos 45 Anos dos Kamen Riders, a Toei conseguiu fazer uma linda homenagem ao personagem, com o filme Kamen Rider N.° 1, que chegou aos cinemas no dia 26 de março trazendo consigo toda a nostalgia para fãs mais velhos, de sua estreia lá nos anos 70.

A evolução do Kamen Rider N.º1 através dos anos (cliquem para ampliar)


O ator Hiroshi Fujioka (hoje com 70 anos) encarna novamente o Kamen Rider. Mais velho e com um roteiro que considera sua idade, no filme ele não tem uma vida de riquezas, está com problemas de coração e está bem mais pesado, e por muito tempo esteve lutando ao lado de outros companheiros (possivelmente Kamen Riders) fora do Japão, enfrentando outras organizações do mal.

Porém, quando a organização Shocker volta a atacar 45 anos depois de sua revelação ao mundo, ele se vê obrigado a voltar à ativa, sobretudo para defender a neta de um de seus grandes amigos, Tobei Tachibana, que a Shocker pretende "sacrificar" a fim de criar um Olhalma especial que deve lhes conferir superpoderes para dominar o mundo.

É aí que o novo e o antigo se cruzam. Takeru aparece lutando como Kamen Rider Ghost, e precisa ganhar o respeito do veterano Takeshi Hongo, que inicialmente não o admite como um Kamen Rider, achando estranha a mudança dos tempos e dos Kamen Riders**.

O novo (e maior) visual não é explicado no filme, mas aos 70 anos, o ator Hiroshi Fujioka 
ainda dá conta do recado ao encarnar um Rider.


O filme nitidamente engrandece Kamen Rider N.° 1, colocando Ghost no lugar dele, como um novato praticamente aspirante a, um dia, eventualmente ser tão experiente como o "veterano", forma como Takeshi Hongo é chamado por Takeru. Uma "charada" é deixada por Takeshi Hongo, e Ghost precisa respondê-la adequadamente mais adiante a fim de receber a consideração da lenda.

Infelizmente, parece que Ghost não teria essa oportunidade, pois N.° 1 efetivamente morre ao decorrer do filme, fruto de sua situação.

Como vocês assistiram ao filme, não há problemas em comentar que felizmente ele retorna à vida (mesmo assim, para eventuais leitores-heróis que gostam de spoilers, mas não assistiram, não vamos comentar como isso ocorre), pegando a sua nave moto Neo Cyclone e partindo para ajudar Ghost e Spectre na batalha contra a Nova Shocker, uma organização dissidente da Shocker original, que acaba em posse do superpoder enlouquecedor.

Após a árdua luta que se segue, até mesmo a Shocker é duramente derrotada, mas a Nova Shocker também acaba sendo. Seguem-se cenas muito interessantes. Takeshi Hongo e seu "eterno" inimigo não travam uma luta final, e fica visto que ela nem seria necessária. Afinal, tanto para heróis quanto para vilões chega o momento inevitável em que o corpo pede um descanso, certo?


Takeshi Hongo efetivamente atua como um "veterano" em diversos momentos 
da produção, e sua presença se faz respeitar.

Takeshi parece não querer o mesmo descanso, e acaba partindo rumo a novas aventuras para combater o mal pelo mundo, deixando para Kamen Rider Ghost o reconhecimento e o incentivo necessários, não agora como "calouro e veterano", mas, sim, como Kamen Riders companheiros de batalha, para sempre.

Para concluir. Muito além do que se poderia falar de outros filmes "fanservice" (que juntam vários heróis só para dar bilheteria e conquistar os fãs), o Kamen Rider 1 de 2016 é um filme épico, que não só coloca para sempre Takeshi Hongo como um dos maiores heróis do mundo, como também unifica o novo e o antigo, deixando uma semente para que os novos Riders estejam sempre focados no que é mais importante: o bem estar mundial.



Takeshi Hongo não possui apenas uma nova forma Rider. Sua moto, a Neo Cyclone,
 é muito maior do que a Cyclone original.


*Rescue Rangers é uma animação Disney produzida no mesmo padrão e época de Ducktales. Sua tradução é complicada, e seria algo como "Os Heróis do Salvamento", isso com uma adaptação. A dublagem escolheu algo mais estapafúrdio, e ficou "Conexão Salva-Ação". Contava com Tico e Teco como 2 dos protagonistas.

**Takeshi Hongo age no filme (inicialmente) exatamente com o mesmo espanto que muitos brasileiros tem frente a séries mais novas da franquia Rider. Ele encara Ghost como alguém que não luta por algo maior, e sim por si mesmo. E como um bom veterano, coloca Ghost numa cruzada para provar seu valor.


O filme foi legendado no Brasil pelo fansub New Wave/Perfect Zect e ele tem como créditos (por ordem de trabalho):
Kai Ozu (Tradutor/Timer)
Guyferd (Revisão)
Eiji (Revisão)
Shinobu Sensui (Revisão/Encode/Upload)

Se você leu esta matéria sem baixar o filme, pode baixar agora, clicando aqui. Foi colocado um cuidado imenso do fansub deste filme, então adoraríamos que todos baixassem e o conhecessem.


Esta matéria contou com a revisão de Eiji.

Sobre o autor:

3 comentários :

  1. "O novo (e maior) visual não é explicado no filme"

    Foi a unica coisa que me irritou, mudou o visual sem mais nem menos e nem teve explicação.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o filme. Até ia dizer que foi uma pena não ter passado no Brasil a série dele (a primeira), mas eu nem era nascido entao tá de boas rsrs
    mas foi um belo filme!

    ResponderExcluir

Adoramos comentários, pois isso nos motiva. Apenas pedimos que evite termos ofensivos de qualquer tipo. Não aceitaremos comentários anônimos o/

Ir ao Topo