TF Drops
Loading...

Publicidade

Matéria - Jaspion, Na Visão do Universo



Bem, redigir uma matéria sobre Jaspion é uma árdua tarefa, pois toda revista, site ou blog já fez isso. Então a pergunta é: como contar a história da série Jaspion sem fazer igual a tudo o que já foi feito e sem que todos os fãs que conhecem a história do início ao fim nos episódios de TV, deixem de ler após o primeiro parágrafo?
Talvez uma nova perspectiva seja então necessária, partindo da origem de tudo, seus pais, e a situação do Universo naquele momento. Vamos tentar?

Anna e Gary, os pais de Jaspion

Gary e Anna são um casal proveniente de uma Estrela entre muitas no Universo onde a vida humanóide se desenvolveu. A profissão deles era nobre: ele, Oficial de Proteção aos Animais da Federação Galáctica, e ela, Zoóloga, trabalhando sempre juntos pelo bem dos animais e com a função de manter esta proteção em todos os Planetas da Federação.

A própria Federação Galáctica se apresenta como um conjunto de Estrelas, com um comando central afim de manter a paz do Universo, ou de pelo menos uma vasta quantidade de Planetas.

A paz reinava graças em parte à Federação, e vários Planetas experimentavam tranquilidade. Entre eles, o Planeta Peace, com suas construções futurísticas e povo composto por variadas raças espaciais, e o Planeta Drods, com sua bela líder que visa proteger o povo.

O Império das Máquinas ataca

Havia porém, um problema. Em um dos Planetas, o Império das Máquinas já reinava, e iniciou uma caçada sem igual com o objetivo de exterminar a vida animal. Sob seu ponto de vista e visando a supremacia tecnológica e robótica, a vida animal era dispensável e a caçada rendia diversão e possivelmente lucros. Não só poderia ser, como foi o princípio da expansão para outros Planetas, primeiramente exterminando animais irracionais, e muito provavelmente desejando exterminar raças inteligentes logo mais.

Entretanto Gary, utilizando seu cargo que demandava um certo respeito até mesmo do General Zampa (líder absoluto desta revolução que o Império das Máquinas almejava), se colocou contra a matança desenfreada, requisitando o fim imediato destas ações. Ignorado, chegou a se colocar entre os soldados de Zampa e os animais. Por fim, acabou sendo alvejado por descargas laser que o feriram muito mas não o mataram.
 
Zampa e o pai de Jaspion, Gary.

Politicamente a diplomacia é sempre lenta em todos os pontos do Universo, mas atirar em um Oficial finalmente desencadeou uma reação armada da Federação Galáctica, que atacou o Império das Máquinas. Apesar de muitas baixas dos dois lados, o império de Zampa havia ficado em ruínas e ele se tornou um renagado espacial, jurando vingança contra Gary e Anna. Os culpava por sua própria incapacidade de entender o mal que estava cometendo contra o Universo e até contra si mesmo.

Gary e Anna tinham Jaspion como filho, e uma fatalidade acabou derrubando sua nave quando os três viajavam juntos. Infelizmente apenas Jaspion sobreviveu. Uma criança em meio a um Planeta longe do seu estaria fadada à morte, mas graças a uma obra Divina, estava em um lugar amigável e pacífico. Era o Planeta Edin, lar do Profeta Espacial Edin, que vivia em um mundo de natureza verdejante e abundante. Edin cuidou de Jaspion desde então, permitindo a ele uma vida feliz e sadia, enquanto este crescia e adquiria os modos de um "Tarzan Espacial", sem levar a vida com responsabilidade, mas sempre tendo muito respeito por seu pai de criação.

Da mesma forma, Edin sempre o amou como a um filho, e nunca duvidou de sua capacidade, e nem de que cumpriria seu destino, quando este fosse revelado. O orgulho que tinha de Jaspion era evidente, fazendo com que o jovem até mesmo ficasse sem jeito, as vezes.

Jaspion ainda criança, já recuperado parcialmente da perda de seus pais.

Por outro lado, a aparente falta de seriedade de Jaspion era desmascarada pelo fato de que Jaspion efetivamente aprendeu com Edin técnicas de combate e uma habilidade muito grande em mecânica e robótica. Isso sem contar em uma bondade e respeito pelo Universo e pelos seres que nele vivem. Era, ainda que o jovem não compreendesse, tudo um plano de Deus. Edin, seguindo a vontade Divina, o preparava para ser o Guerreiro do Universo, e aquele que viria a defender a todos do mal eterno que estava por renascer...

Sim. Edin vivia buscando pedaços da Bíblia Galáctica, fragmentada há 30 mil anos por consequência da explosão de seu Planeta natal por um Cometa. Edin provavelmente não era o único sobrevivente de seu Planeta, mas sua missão era única. Jaspion fazia parte desta missão e ele nunca renunciou a ela por qualquer necessidade de localizar possíveis membros perdidos de sua raça.

 
Jaspion e seu mentor, ainda no Planeta Edin

Um dia, ele encontra o fragmento que procurava e chama Jaspion às pressas. Neste fragmento vem a revelação de que o mal do universo, o temível Satan Goss, está para despertar uma vez mais, trazendo consigo a fúria dos monstros espaciais adormecidos há milênios nas profundezas dos Planetas, hoje habitados por raças inteligentes e pacíficas.

Satan Goss é a Energia Negativa do Universo. Em outras palavras, o mal supremo. Sua energia etérea é praticamente imortal, mas  o Universo consegue ficar livre de sua presença por milênios, enquanto as energias do bem conseguem impedir o seu despertar. Porém, em algum momento ele adquire forças suficientes para tal feito, e havia chegado o dia do mal fazer uma nova tentativa de destruir a todos. O líder máximo com o sonho de criar o Império dos Monstros estava renascendo, com poder suficiente para sobrepujar até mesmo a Federação Galáctica, e sem medo algum até de Deus.

Satan Goss, o Mal Supremo

E com a aparição rápida de Satan Goss perante um não-muito-surpreso-Edin e Jaspion,  há a revelação oficial de que Jaspion devia utilizar todo o seu conhecimento e amor para defender a todos. A guerra havia começado!

Chega o momento para o qual Jaspion fora preparado. O momento em que os equipamentos avançados utilizando energia cósmica criados por Edin seriam testados ao máximo para ajudar o Tarzan Galáctico Jaspion em suas aventuras e lutas pelo Cosmos, combatendo Satan Goss e seus asseclas.

Com muito ainda por ser revelado, Jaspion parte em sua nave-robô Daileon, aceitando seu destino e ao lado de sua parceira andróide Anri, também construída por Edin para ajudá-lo. O Universo deseja boa sorte a este guerreiro, pois é certo que ele vai precisar!

Jaspion e Anri



Perguntas e Respostas sobre esta matéria:

1 ) Existia uma Federação Galáctica mesmo?
Sim. No episódio 18 de Jaspion, quando Gary (Kelly ou Kerly, no Brasil) e Anna se apresentam como espíritos materializados  ao seu filho Jaspion, ele menciona ser um "Guarda Florestal do Governo Federal do Ginga", que na versão original em japonês é Federação Galáctica. Ginga em japonês é Universo, e a dublagem atropelou esta questão. Logo, "Federação Galáctica do Universo", uma organização poderosa para manter a paz e a ordem, utilizando força política e militar, se necessário.

2 ) Não foi mencionada a questão política na série. De onde saiu isso?
A série Jaspion tinha forte inspiração em Guerra nas Estrelas, com uma Federação, muitos Planetas sob sua jurisdição, "sabres de luz" e um "Darth Vader". Logo, toda a organização da série, e a forma como a situação entre a Federação e o Império das Máquinas correu, reforça a tese de que a política também reinava neste universo de Jaspion.

A Federação Galáctica enfrenta o Império das Máquinas

3 ) Existiu religião em Jaspion?
Ainda que de forma razoavelmente minimizada, a religião Católica fora mencionada, com Edin sendo um profeta diretamente temente a Deus, o único Deus do Universo. A menção da Bíblia Galáctica completa a questão. É certo que Jaspion acreditava muito em Deus (conforme sua própria expressão pelo falecimento da Meloniana, no episódio 12), mas sem religião específica declarada.

Mas a materialização dos espíritos de Gary e Anna, que não foram alucinação de Jaspion, mas sim algo tangível e puramente "denso", físico, é o indicativo de elementos da Doutrina Espírita, que explica que em determinados e raros casos de merecimento, um espírito tem a capacidade de se materializar (ainda que não da forma como foi mostrada na série de ficção).


4 ) A Bíblia Galáctica foi destruída por acidente?
Dizem que todos os grandes movimentos do Universo são previstos e ditados por Deus, ainda que este deixe tudo correr normalmente. Porém, a destruição do Planeta original de Edin pode sugerir que havia um motivo na catástrofe. Proteger a Bíblia de algum mal do passado (Satan Goss, eras atrás?), ou propiciar a situação para que Edin viesse a encontrar Jaspion, muito tempo depois.

Em certo momento da série, a Bruxa Galáctica Kilza se apossa de um fragmento da Bíblia, e Edin não exita em destruir este fragmento para impedir que Satan Goss obtenha diretrizes sobre o Pássaro Dourado.

Isso permite a tese de que Deus e a raça de Edin protegem a Bíblia de qualquer mal que tente se apossar dela em qualquer tempo, e utilizando-se de todos os meios necessários. Até mesmo catástrofes aparentemente naturais, ainda que nos seja tão difícil compreender algo tão complexo...



5 ) Satan Goss não nasceu com a profecia lida por Edin no episódio 1 de Jaspion? Ele já havia aparecido antes?
Na verdade Edin revela histórias contadas por seus ancestrais no episódio 35 (10:25), que mencionam Satan Goss como um mal que não morre. Que aparece de tempos em tempos trazendo destruição aos povos, até que um campeão consiga elementos suficientes para exterminá-lo de vez. Em algum momento do passado, um outro campeão deve ter aparecido e enfrentado Satan Goss, destruindo-o de alguma outra forma, mas não definitivamente.


E aqui encerra-se a primeira parte de uma matéria bastante diferente, embasada em teorias que para muitos, hão de ser fantasiosas, e para outros serão a mais pura lógica de toda a história do Universo de Jaspion. Caso esta seja aprovada pelo público, a próxima já tem nome: Jaspion, O Raciocínio do Guerreiro.

14 comentários :

  1. Simplesmente, A-P-A-I-X-O-N-A-N-T-E! Um ponto de vista bastante coerente e envolvente dentro da compreensão daquilo que foi a série, de como ela se mostrou e de como você a percebeu... É inspirador ver a forma como você introduziu a história de Jaspion de forma única sem os esteriótipos corriqueiros, ou ainda melhor, sem cair na mesmice de tudo aquilo que foi falado ou discutido.

    Engraçado que vi a matéria como um conto, e viajei nele... recordei-me de alguns pontos levantados e pude vê-los através do seu olhar. Claro que não estou afirmando que é a Teoria pronta e acabada de todo o enredo, contudo, identifiquei-me com ela, inclusive nos pontos referentes a religião. Muitas vezes tratada como tabu ou até de forma equivocada, você falou de forma simples, clara e bem direta... trazendo duas vertentes bastantes plausíveis!

    O que mais importa aqui é se despir dos preconceitos enraizados dentro de cada um... Jaspion é idolatrado por uns e massacrado por outros que não compreende tal idolatria! Infelizmente, a incompreensão humana ainda existe, bem como a falta de respeito, o que é lamentável! Mas, de uma forma ou de outra sempre superamos essas questões.

    Pois bem, o fato é que a matéria foi instigante! Envolve-me do início ao fim... e quando acabou.... fiquei com aquele gostinho: "Ah, quero ler mais sobre isso!" Hummm... por causa disso, não vejo a hora para que possa sair a sequência desse ponto de vista que ao meu ver é viciante! Quero ler mais matérias assim!

    Fico só imaginando o que nos espera em: Jaspion, O Raciocínio do Guerreiro.

    Parabéns, Guyferd! Espero que possamos contar com mais matérias assim! Fascinantes! #FelizRetorno mais uma vez!

    Um forte abraço e até a próxima!

    ResponderExcluir
  2. Vocês gostaram mesmo? Eu fiquei em dúvida de lançar algo novo, algo que com embasamento em trechos da série, na Wikipedia japonesa e até em teorias pela lógica da situação.

    Agradeço e fico feliz que tenham gostado. É uma proposta nova, para tentar sair da mesmice. Do contrário, eu não teria coragem de escrever algo sobre Jaspion, quando todos já sabem de cor e salteado.

    Se tiver mais algumas opiniões, seguirei nessa linha então \o/

    ResponderExcluir
  3. Não assisti a todos os episódios, mas o Jaspion fez parte da minha infância. Seu trabalho está muito bom. Com certeza o acompanharei.

    ResponderExcluir
  4. De fato há uma espécie de messianismo na figura do Jaspion e a Trindade cristã se levarmos em conta Deus, pássaro dourado e o próprio Jaspion, parabéns ótima matéria!

    ResponderExcluir
  5. Cara, muito boa essa tua matéria. Eu era fã do Jaspion, vi toda a série lá nos meus 12, 13 anos (tenho 40), e curtia muito porque lembrava muito SW. Te digo que até fiquei com pena do MacGaren quando ele morreu pela terceira e última vez. Legal é que tu resgatou as ilustrações dos flashbacks da série, que eu curtia pra caráio, até sonhava com elas, hehehehe. Sobre o assunto da religião, acredito que a possibilidade de ele se comunicar com os pais mortos, creio que vem do budismo, religião oficial do Japão, e não do espiritismo, como tu falaste, porque essa última pegou muitos elementos doutrinários do budismo. Mas o resto tá show. Sempre quis conhecer mais sobre a história pregressa da trama da série. Quero acompanhar as outras matérias. Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Giovani, Eduardo e Fabrício, muito obrigado por curtirem e por deixarem sua opinião! Nunca imaginei que a matéria acabaria atraindo alguma atenção, me surpreendi.

    A respeito do Pássaro Dourado, foi algo que eu não mergulhei ainda, pois é algo que vem depois. Pretendo conseguir elementos suficientes para adentrar o assunto dele.

    Fabrício, quando criança eu fiquei foi chocado quando vi MacGaren morrendo já da primeira vez. E outro momento foi quando perdeu o braço. Mas Jaspion era imbatível, não tinha jeito :P

    Sobre os elementos do budismo, realmente tenho pouco conhecimento a respeito, e vou procurar alguns dados a respeito. Uma pena, poderia ter anexado o fato...

    E quanto a todos que vierem aqui lê-la, o nosso muito obrigado pelo acesso. A quantidade de acessos a que essa matéria atingiu até nesta madrugada é surpreendente!

    ResponderExcluir
  7. Quanto tempo, Guy! =D

    "É certo que Jaspion acreditava muito em Deus (conforme sua própria expressão pelo falecimento da Meloniana, no episódio 12), mas sem religião específica declarada."

    No último episódio também, ele menciona o "Todo-Poderoso". A menos que a tradução esteja errada, essa seria outra referência da fé de Jaspion em Deus.

    ResponderExcluir
  8. Legal a matéria brother. Jaspion, até hj, é a minha série favorita. Abraços

    ResponderExcluir
  9. Caraca, que matéria show de bola. Agora tenho ainda mais referências pra levar adiante minha fanfiction.
    Fico muito agradeço por essas riquíssimas informações.

    ResponderExcluir
  10. Essa matéria foi como estar lá vivenciando junto com Jaspion tudo o que ele viveu. Parabéns pelo trabalho. Continue escrevendo.

    ResponderExcluir
  11. Demorei um pouco pra ler esta matéria, e achei interessante. Em especial graças ao embasamento de elementos existentes na série, e apontadas no decorrer do texto. Não me surpreenderia se a TOEI lesse isso e imaginasse como RAIOS alguém DESCOBRIU o "universo expandido oficial" de Jaspion. kkkkk

    ResponderExcluir
  12. MUITO BOM CONTINUA ASSIM CONTINUA POR FAVOR....

    ResponderExcluir

Adoramos comentários, pois isso nos motiva. Apenas pedimos que evite termos ofensivos de qualquer tipo. Não aceitaremos comentários anônimos o/

Ir ao Topo